Atos Negros

Conjurando...

Fazer Pacto

O QUE NÃO TE CONTAM - 17 de março de 2021

Tatuagens que falam, sigilos na pele

Continuando com a matéria sobre tatuar selos de demônios no bucho, hoje na última parte vamos falar sobre os selos e sigilos e quais as consequências, boas e ruins de carimbar um monte deles na sua bunda, então que comecem as agulhadas.

Sigilização mágica

Criar símbolos sempre foi o tesão de um monte de ocultistas/magistas desde que eles saíram de dentro de suas cavernas, porém com a organização das ordens vários métodos se tornaram padrão e com eles a utilidade dos “sigilos mágicos”, o que nada mais é que um símbolo sobre uma vontade do seu criador, pode parecer meio complicado à primeira vista, mas é uma das práticas mais comuns entre os ocultistas iniciantes, e talvez até por isso a “magia” caótica bate no peito com bastante orgulho por finalmente ter aprendido alguma técnica.

E como eu crio um sigilo, Gigim?

Você não precisa ser de nenhuma ordem, seita ou culto, e sequer acreditar em algum Deus, porém você tem que acreditar na sua capacidade de modificar a realidade, ou a causalidade, ou seja, algo que você deseja vai acabar acontecendo devido à sua interferência na chance daquilo acontecer… meio doido isso, né? Mas na prática é como “aumentar as suas chances” espalhando fragmentos da sua energia em vários caminhos relacionados à conclusão da sua vontade. Quase falei bonito agora.

Claro que vou dar um exemplo pra galera que tem meio cérebro, então senta aí e presta atenção.

O Garoto Crowley quer conquistar a menina Blavatsky, porém ele é feio e muito tímido e a menina Blavatsky é famosa e cheia de amigos melhores e mais famosos que ele, então menino Crowley pega um livro de magia e descobre “os sigilos mágicos”, ele sabe que tem que declarar uma vontade, e isso ele tem “passar a rola na menina Blavatsky”, e ele sabe que tem que criar um símbolo que represente a sua vontade então ele faz uns rabiscos que representam ele fazendo “coisinhas” com a moça, porém para que isso ocorre o menino Crowley percebe que muitas coisas tem que ocorrer, ela tem que ficar longe dos amigos, ele tem que poder chamar a atenção dela, ela tem que estar solteira, e ela tem que gostar do tipo de cara que ele é… Menino Crowley faz rabiscos representando formas disso acontecer, como por exemplo ela se afastar dos amigos, ele imagina que a melhor forma disso acontecer é que eles morram, então ele imagina toda uma situação onde isso é possível e como acontece, faz uns rabiscos e junta com o rabisco anterior, e na mente deturpada dele cada item é criado, rabiscado e colocado.

Por fim o garoto Crowley criou um sigilo, um símbolo de toda uma saga que terá que ocorrer para que ele possa tirar as calcinhas da menina Blavatsky, agora só falta a parte principal, energizar o sigilo, menino Crowley arreia as calças e começa a se masturbar visualizando o seu sigilo e tudo o que ele representa, ele fica por horas fazendo isso então quando atinge o orgasmo ele visualiza todas aquelas ações ocorrendo e sua energia estando em todos esses lugares com todas essas pessoas relacionadas à sua vontade, ele pega o sigilo e o guarda num lugar que só ele poderá ver.

A mãe do menino Crowley que observava tudo pela fresta da porta apenas diz ” – Esses jovens de hoje em dia tão com umas pornografias bem zuadas.”

FIM

É sempre assim que se faz?

Claro que não, né criatura, essa é uma forma fantasiada de se criar, porém demonstra bem como funciona e o que pode ter dentro de um sigilo, ou seja, muita ou pouca coisa, sigilos mais complexos demorarão mais para surtirem efeito e necessitarão de mais energia do praticante sem contar que devido à complexidade eles podem simplesmente não funcionar, logo quanto mais simples de começo melhor.

Tá Gigim, e as tatuagens?

Se você leu o exemplo vai perceber que o sigilo é algo SEU e que ele deve ser energizado (não somente na forma do exemplo) e que ter um sigilo tatuado em você poderia até mesmo facilitar isso, porém percebam que o sigilo é uma esponja de energia e ele sempre que lembrado irá drenar a energia do seu criador então isso pode se tornar um problemas se você não puder “quebrar” o sigilo, e outra coisa a ser levada em conta é que vontade dá e passa, então se você criar um sigilo pra “ser o melhor bodyboard da sua rua” tatuar ele em você e depois descobrir que bodyboard é coisa de moleque… o selo ainda vai estar lá e sempre que você lembrar dele, adivinha? Será energizado, mesmo que pouco e como você vê ele todo dia isso pode se tornar incômodo, principalmente no sono.

Então não devo tatuar sigilos?

Na verdade eu até aconselharia, sigilos e amuletos em tatuagens funcionam de forma similar, porém os amuletos não precisam ser energizados e os sigilos sim, existem máximas na nossa vida que sempre iremos querer e não tem problema energizá-las sempre, como saúde, sorte, paz, amor e etc… Então criar o SEU sigilo sobre isso, tatuar e energizar com frequência não seria nenhum problema.

E a matéria tá mais longa do que eu esperava, então vou ficando por aqui, qualquer coisa comentem que esse tipo de assunto sempre volta


GOSTOU DESSE CONTEÚDO? QUER VER MAIS SOBRE ISSO OU SOBRE UM ASSUNTO DE SUA ESCOLHA? SEJA UM APOIADOR DO PORTAL E VEJA AS VANTAGENS, CLIQUE NO LINK PARA SABER MAIS

Scroll Up